quarta-feira, 3 de junho de 2009

Visões d’além mar.

Somos letras e frases nas telas,
Espaço virtual em que me torno quântico,
Sonhando imagens no içar das velas
Onde encontramos nosso doce cântico.

Não sou um ele que luta por elas,
Nem abjeto, nem tolo e romântico.
Sou vida; e vida vem delas.
Mostrando em atos seu valor semântico.

Não admiro só suas aquarelas,
Tua coragem vai-me ao recôndito,
Tuas idéias tão fortes e belas
Tornam minúsculo o oceano Atlântico.

Para Nana Odara.

P.S: Nana, quando te leio, estou quase sempre sentado a seu lado.

Um comentário:

Nana Odara disse...

uau...
ganhei o dia hj...
superbeijos carinhosos...
espero q esteja do meu lado e peladinho pra gente se jogar e gozar junto na cara dos caretas...
pra te dar mais inspiração...